Pedras Rolantes

"A vida é aquilo que acontece enquanto estás demasiado ocupado a fazer outros planos" John Lennon



"You can't always get what you want, but sometimes, yeah just sometimes, you can get what you need" The Rolling Stones



quinta-feira, setembro 30, 2010

abanar o que nos resta


La danse macabre / Camille Saint-Saens (com trema no e) op 40    1875...2010
(poema sinfónico baseado em homónimo de Henri Cazalis)
volume bem alto, por favor.

domingo, setembro 26, 2010

Actos, palavras & omissões

O Expresso estaria ainda debaixo da mesa, se eu não tivesse delineado os rascunhos do estado da coisa real, aka crise invencível e assuntos por demais flagrantes. Acontece que as barbaridades passam por direito próprio à frente, sobretudo as que se vêem à frente dos olhos - ou no monitor.
Está também na lista de ofensas, digo, de posts, a minha experiência no "livro (ou país) dos rostos", aka Facebook, nunca sendo demais relembrar que foi inventado por um miúdo para classificar as colegas da faculdade...

Estava a incorporar o regresso à rotina, regado com muitas séries do AXN/FOX etc, para dar por isso mais de mansinho, e estava a por blog em ordem, coisas como limpar o pó, que têm que ser feitas até que a camada de cotão imobilize a hospedeira.
Entretanto passei pelo Face, não sei se tinha muito que partilhar, não me lembro, só pego em coisas com piada para o meu cabaz, não me seduz a cultura do clique e dos amigos de conveniência. Sei que não se pode opinar grande coisa no Face, senão cai-nos um grupo do contra em cima - é isto a co-existência pacífica num dos maiores países do mundo?

Portanto, democracia e tolerância à parte, que já vi e tenho que escrever, como certas pessoas, vá-se lá saber porque carga de água, cascam noutras depois de estarem mortas (Evento Saramago vs Monárquicos do Alentejo). Sugeri tolerância em vez de chamarem ao novo defunto filho da p e outros adjectivos impublicáveis. Lá que não tenham conseguido passar da 1ª página do Memorial do Convento, por manifesta falta de predicados de leitura, seria com eles.
Passou para asneirola pegada com pessoas que eu não conhecia, e já conseguia ver um pelourinho à minha espera algures no Alentejo. É pena. Quanto mais desciam, mais superiormente moral me sentia para gritar a tolerância e reagir às provocações. Mas como era no Face de um amigo, que respeito, mandei-lhe uma mensagem a pedir desculpa só por lhe estragar a Face, e que me mandasse àquela parte (no face, é deixar de ser amigo, castigo supremo) se achasse que a sua integridade e valores estavam a ser tão devassados.
Ele parou a chacina. Eu bloqueei a cambada de paspalhos que até já andavam a snifar nos nossos faces (meu e da minha mãe) se éramos comunas e comíamos crianças ao pequeno almoço apesar de sermos tão cultas, e uma de nós apresentar "nome italiano" (sic).
Se ele tivesse decidido de outra maneira, para mim quem ficaria queimado era ele. Não era por isso que deixava de os achar uns atrasados mentais que aproveitam uma morte para pisar o morto.

Adiante. Li o mural tipicamente em E, á moderna. E vi uma coisa que me pareceu do outro mundo. Uma instituição que cuida de burros em Mafra, a Burricadas (que visitei no ano passado, e foi aqui apresentada nos burros a pão de ló), supostamente amiga de animais (e nós também somos animais, com um grande ponto de interrogação sobre o racionais), pôs no seu Face a seguinte notícia para comentar:
Morto à pancada por violar animais -exclusivo CM -Correio da Manhã
Conhecido por roubar galinhas para actos sexuais,
 Jaime Pires do Ó, 68 anos, foi assassinado
 à porta de casa com golpes no peito e junto ao ânus.
 com o seguinte lamiré - "Alguém na comunidade foi levado a fazer justiça por suas mãos, porque a nossa justiça simplesmente não funciona."
Desde quando é que a "nossa" justiça funciona? Não é esse o principal problema deste país, que permite tanta corrupção, tanta impunidade e, até, tantas mortes na estrada e atentados à cidadania como o que aconteceu por exemplo com a gata Vip? Todos partilham o sentimento de impunidade, quanto aos polícias, quanto aos juízes, quanto aos políticos!
Mas isto, isto senhores é diferente. É do Correio da Manhã e comenta-se e aplaude-se e chacina-se o homem várias vezes no Face (curiosamente, quase tudo senhoras...). Bem feito, não há nada como a justiça popular, davam-lhe mais, matavam-no com mais força. Onde é que já se viu roubar e violar galinhas, meter paus pelo ânus de um burro, violar uma senhora que tanto estava acamada como não e tinha algures entre 83 e 92 anos.
Diz a muito pouco senhora Carla Valverde - "Todas as pessoas têm direito a existir, a viver a sua vida, a ter prazer, mas nunca á conta de outro ser vivo, galinhas ou não". É uma máxima tão profunda que não sei que sentido lhe tire, se não o de que a pouco senhora não tem absolutamente nada que fazer, e nada dentro da cabeça à parte um conceito idiota de ter sempre razão e matar os anormais (de uma maneira um pouco nacional-socialista, ergo, nazi, para que não se pense noutras coisas).
É difícil esmiuçar uma notícia destas, no CM, que é o que sabemos, o senhor de 68 anos tinha história psiquiátrica conhecida desde jovem, mas nunca ninguém lhe tinha oferecido ajuda. Com trabalhos ocasionais de pouca monta, mal visto pela aldeia, vivia sozinho, sem condições de higiene, num casebre sem condições. Esta parte, tal como os roubos e maus tratos a galinhas, burros, ovelhas, são sempre mencionadas.
Já a maneira como morreu, ao pé de casa num beco, ou em flagrante delito num galinheiro, levantam a suspeita da conspiraçãozinha do silêncio. Morreu logo, ou quando chegou ao Hospital. Há consenso na gravidade dos ferimentos, mas em mais nada. Facadas em todo o corpo, no ânus e no peito? Oficialmente só no peito, mas a esvair-se em sangue? Enquanto estava de queixo caído, no Jornal da noite da SIC, falaram no quebra-cabeças para a GNR, mas disseram também que tinha marcas de ter estado amarrado, de outros tipos de ferimentos (em certas partes do corpo que se adivinham), ou seja, tortura.
15 pessoas gostam disto, não conto quem é a favor da pena de morte, porque já bloqueei quase todos.
A truculenta não sra CV acrescenta aos seus milhares de opiniões truncadas (da cabeça): "Antes de haverem tribunais, antes de haverem juízes, a justiça era praticada por quem?". Jesus! Por quem? O que temos na cabeça? Não está inerente a nós um sistema de valores? Não há em todas as sociedades, mesmo primitivas (vulgo cromagnons para a sra CV) um conselho de anciãos e de pessoas de importância (xamã, chefe da tribo, médico, sacerdote) que formam o seu conselho de Justiça?
Deixa assim, imediatamente de ser olho por olho... Não consta também que a Natureza funcione assim com os seus (nós todos e todas as espécies). Não há acção-reacção, mas sim relação.
Para mal dos seus burricos, a Burricadas tomou a opção de "moderar" o fórum pelo lado mais extremista. Fogo com fogo. Infelizmente, embora a leitura do face se faça em E, já muitas vezes tinha visto comentários pouco abonatórios da Burricadas a "nós", pessoas normais que comem carne (somos omnívoros), que não concordam com a extinção dos circos, que têm toda a consideração pela natureza e pelos animais e pelas plantas mas não se deixam amordaçar pela antropomorfização que organizações como a Animal e o partido qualquer coisa andam a tentar fazer. Eles não gostam de animais. Eles querem um leitmotiv para arruaçar, como a quase sra CV.
Houve (in)justiça pública? Houve. Os queridos vizinhos de Proença a Velha não mataram o Jaime ovelha, por sevícias, mas por roubo, por vergonha.
"José Rocha, 87 anos, foi obrigado a acabar com a criação de galinhas devido a ‘Jaime ovelha’. "Há dois meses foi ao meu galinheiro e roubou-me uma galinha. Esteve com ela em casa durante quatro dias e depois devolveu-ma muito maltratada e levou outra. Tive de matar a galinha violada", conta José Rocha, que não pediu explicações ao agressor por "medo dele"." Ainda me hão-de explicar, biologicamente, como é possível violar galinhas... agora matá-las por estarem maltratadas, quem foi? Alguém mata os inúmeros pobres de espírito que tais, que sentem tantas vezes o impulso de se "aliviar" nas ovelhas? Toda a gente sabe. Toda a gente já ouviu histórias.
Há zoófilias piores, em termos de danos internos para pessoas e animais, e consoante seja o "parceiro" activo ou passivo - assim de repente estou a ver que já não devem querer falar disto. Há documentários (fidedignos).
Tenho para mim que Jaime foi vítima de muita coisa a vida inteira, sendo as principais a ignorância e o preconceito. A justiça poderia nada ter a ver com isto.

Quanto aos mirones, que o que fazem é opinar e comentar, achando que tolerância é uma espécie de predicado que assiste aos"ricos e não á populaça", cortesia CV. Com uma pequena ajuda da Burricadas, que prontamente se voluntaria a torcionar quem fizesse o mesmo aos seus animais, vizinhos e amigos.
Moderação perfeita, justiça perfeita. No mundo deles. E se um burro matar outro burro? Devia haver um questionário para organizações que tratam de animais, como nos states há para quem adopta. Afinal tem que se saber se afinal eles têm capacidade de tomar conta dos burros com responsabilidade. Pelos vistos, opinar e perder amigos com responsabilidade é coisa que não lhes sobe à cabeça. (o que também é uma forma muito perversa de justiça privada - eu gosto de ti desde que penses o mesmo que eu)
Tudo isto me deixa insatisfeita e triste porque sei que é uma agulha num palheiro (neste particular, também cheguei a fazer parte dele), e aquilo que é mais fácil pedir-se ás pessoas, sobretudo nestas alturas, que é um pouco de bom senso, deixou, simplesmente, de existir, ser viável. Respondem com orgulho na sua falta de visão e de civilidade.
Depois de uma gata salva e morta por humanos, humanos que se enxovalham, alegadamente por animais. Já não é por amor aos animais, Burricadas, é por falta de vitamina B12, e de amor a si próprios, que começaram, também, a ouvir e vender o disco riscado.
Tenho pena, posso dizê-lo, dos vossos animais e sinceramente, posso dizê-lo, tenho medo do que vocês próprios lhes possam fazer.

sábado, setembro 25, 2010

a tomar fôlego

Outono

Quero apenas cinco coisas...
Primeiro é o amor sem fim
A segunda é ver o outono
A terceira é o grave inverno
Em quarto lugar o verão
A quinta são teus olhos
Não quero dormir sem teus olhos.
Não quero ser...sem que me olhes. 
Abro mão da primavera para que me continues olhando.

Pablo Neruda

Nine (o inicio, a marca): Be Italian, Caspita!

Be Italian / Fergie (Saraghina): 1/7 no coração de Guido. Como é que diabos acham Chicago melhor?



So you little Italian devils, you want to know about love?

Saraghina will tell you.
If you want to make a woman happy, you rely on what you’re born with, because it is in your blood.

Be Italian
Be Italian
take a chance and try to steal a fiery kiss
be Italian
be Italian
when you hold me don’t just hold me but hold this
please be gentle, sentimental
go ahead and try to give my cheek a pat
but be daring and uncaring
when you pinch me try to pinch me where there’s fat

HA!
be a singer (be a singer)
be a lover (be a lover)
pick the flower now before the chance is past (pick the flower now before the chance is past)
be Italian (be Italian)
be Italian (be Italian)
live today as if it may become your last!

tenho

uma dor de cabeça e no universo. Sou muito Pessoana, ainda não percebi bem é qual. A cabeça também não ajuda.

quarta-feira, setembro 22, 2010

para onde vamos, Vip?


Deixei ainda o Expresso debaixo da mesa (ou melhor, em lista de espera, uma vez que as bacoradas e politiquices do país nada têm de inesperado ou verdadeiramente novo). A minha imersão de volta à realidade trouxe-me a notícia online de uma gata que também apenas conhecia online, através de um blog de valentes salvadores e amigos de gatos, o Bichanos do Porto.
Caí na realidade de saber ao atrasado 4 dias, nesta era de redes sociais e banda larga em que já não se lê na diagonal mas em E, que a Vip morreu.
Mais uma vez, uma questão de cidadania, dignidade e responsabilidade. Como não me canso de citar, Ghandi disse que as civilizações se deveriam avaliar pela maneira como tratam os seus anciãos, crianças e animais.
Quanto ao nosso próximo, estamos conversados, destratamos, seriamente, seja fraco ou forte, saudável ou doente. O que interessa é ficar por cima.
Quanto aos animais, estamos na altura "fracturante" das "petições contra e petições pró" tourada, circo. As petições foram desvirtuadas de exercício de soberania e cidadania há muito tempo, por esta mesma internet que nos liga. Petição contra o encerramento do hospital D. Estefânia? Assinei. Contem comigo. Petição para o Rui Costa ser presidente do SLB, para controlar o colesterol do Marco Paulo, para  Mudastea entrar no dicionário, para  haver referendo "gay"... Dilui a importância do instrumento como voz social de causas mesmo importantes, que não são assim tantas.
A Vip era apenas uma gata em trabalho de parto quando um cidadão (ã) a atropelou e a deixou assim, para as bandas do Aeroporto Sá Carneiro. Quando a encontraram, fizeram uma cesariana de emergência; dos 6 filhotes que tiveram que ser reanimados, sobreviveram 4; 2 faleceram nos dias subsequentes.
A Vip não pode estar com os filhotes que sobreviveram nem dar leite; tinha demasiadas feridas para sarar, as patas tiveram que ser entrapadas por terem tecido exposto, e tinha uma larga área ferida que iria necessitar de enxerto de pele. Aparentemente foi uma doente cumpridora e ronronadora, apesar de pensos diários, demonstrando o seu agradecimento imediato e comendo com apetite.
Foi-se ganhando força e esperança. Mas por alguma razão, não conseguiu sobreviver à 2ª operação de enxerto de pele. Muita gente contribui directamente com soros, gaze, dinheiro, antibióticos, o que a Vip ia precisando. Muita gente se ia alimentando das noticias das suas refeições, ronrons e melhoras. Sobram-nos o Brasil (cinzento) e o Haiti (creme), bebés com nomes curiosamente simbólicos que crescem todos os dias. E aquela sensação de que animais somos todos, uns mais animais do que os outros, e longe estaremos de ser a espécie mais inteligente, ou diria mesmo, antropocentricamente, "humana", desta biosfera.
Tem dias em que me envergonho do rótulo sapiens sapiens, se a única coisa que sei é que me falta compreender muito. A Vip compreendeu certamente muito mais. Que te seja leve a viagem, tomes conta dos 4, sempre ao pé dos 2 botõezinhos que deixaste connosco.

sexta-feira, setembro 10, 2010

tenho quase a certeza que vi bem...

... mas não sei se captei tudo...
video
restante blogue e movimento terrestre podem retomar o passo habitual.

domingo, setembro 05, 2010

Do Fim dos Segredos

Quando se conta a outrem um segredo este
desmaia: a palavra
torna-se pele
sem leão lá dentro.

Não é mais segredo e não o sendo
finge ser lembrança
de fabrico imperfeito:
um cliqueti no silêncio escancara

a dantes inamovível porta
e virada a página acha-se apenas
uma moeda
que não corre já.

Júlio Pomar, in "TRATAdoDITOeFEITO"

(Com os devidos agradecimentos aos facebookers permanentes e impenitentes das Aldeias Históricas De Portugal, que nunca se cansam de encontrar encantos - de paisagem e de letras)

segundo Chico


"Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo... isso é carência.
 
 Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem      mais voltar... isso é saudade.

Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos... isso é equilíbrio.

Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsivamente para que revejamos a nossa vida... isso é um princípio da natureza.

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... isso é circunstância.

Solidão é muito mais do que isto.

Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma ..."
Francisco Buarque de Holanda

Aberto para férias



Espero que literalmente, pesem embora as mezinhas, só para aborrecer.

O país e o mundo (1)

it's not a silly season it's a silly world (versão 1.1)

ou as coisas que ando louca por comentar há meses, recuperando um Expresso de baixo da mesa

a) Vaticano, Pedofilia nos EUA, processos, abertura(?) do Papa, vinda a Portugal, cumprimentos ao Cavaco (???????)
Bonito, o altar "para ver o rio"...mas de costas para o rio? E para o Cristo Rei? Porque a súbita redenção do Homem chamado Ratzinger a Fátima? Porque lhe interessa um fait-divers para a pedofilia. Interessa-lhe recuperar os milhões de fieis (sobretudo brasileiros) que ainda são católicos por devoção. Interessa-lhe andar com uma estola de arminho (ie, parecida com pelo de marta) a pregar a ecologia. E o nosso cardeal, que parecia um mafioso de olhos escuros...
Tirando a lembrança idiota de oferecer preservativos (muito caviar muito esquerda ?) perto do recinto. Não há temas fracturantes. Os casamentos daquelas pessoas?
Temas fracturantes são os que eles geram: 1) "homossexual masculino = pedófilo e há estudos científicos" - mentira descarada, os estudos provam que a pedofilia (que é uma parafilia, ver dicionário), não tem nada a ver com orientação sexual nem identidade de género. Aprendi na faculdade. Há psicólogos (??) que ainda baixam os olhos e dizem "foram eles que disseram, deve haver estudos". Jesus, teu nome em vão! Não há, não há. A Igreja manipula também a desinformação.
2) a ordenação de mulheres é um pecado tão grave como a pedofilia. Não se comenta. É alarve. Não sei porque é que as congregações femininas (vulgo freiras) engoliram a afronta em seco; não sei porque é que os padres bem falantes se calaram diante do flagrante.
Ainda bem que a minha Fé Cristã e Católica nada tem a ver com esta ideia ou talvez ausência de ideia de Igreja. Mas é pena.
Como em tudo o mais, vai ser preciso cair de muito alto para construir tudo outra vez.

b) Novelas de verão : Queirós e Duarte Lima
terra queimada

c) Casa Pia: 10 anos de chove não molha

Dizem que são 7, mas foram pingando o que sabiam, o que podiam saber, o que podiam dizer, as escutas, os advogados, que como o PGR gostavam de ser raínha por um dia, os juízes, as vítimas, os tribunais, o execrável CC em directo em todos os canais ao mesmo tempo, as bofetadas de luva branca da Sra provedora Catalina Pestana (ao menos disse-as todas), o Bibi e mais o resto das m´fias impunes no tráfico de menores (é o que se trata, no fundo).
Pergunta crucial -como se trata um pedófilo arrependido -que los hay, los hay - com um enxerto de pancada, com castração química? Who knows?

(continua)

estrangeirices

Não: não Digas Nada!



Não: não digas nada!
Supor o que dirá
A tua boca velada
É ouvi-lo já
É ouvi-lo melhor
Do que o dirias.
O que és não vem à flor
Das frases e dos dias.
És melhor do que tu.
Não digas nada: sê!
Graça do corpo nu
Que invisível se vê.


Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

Deviamos seguir mais estes conselhos estrangeiros.
Morra o Dantas, morra. Pim.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...